segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O Incrível Huck

























Confesso que não acho o apresentador Luciano Huck uma sumidade - como é moda dizer hoje. E evidentemente não é - como diz o 'simpático' Faustão - apenas o seu belo rostinho que o projetou tanto na televisão.
Sei que ele é de família rica de São Paulo. Lembro-me de que ele começou na TV em 1993, na TV Bandeirantes, com o programa H. Era até razoável. Como disse, nunca achei o Huck um talento, mas é alguém que vem conquistando muito a simpatia das pessoas, inclusive a minha. E tem mais: Ele se casou muito bem. A Angélica é uma pessoa muito querida, talentosa, agradável e sabe muito bem conduzir o seu programa de entrevistas.  Ela é bonita, mas não é apelativa. É comedida. Parece que não se deixou seduzir, se deslumbrar com o dinheiro e o sucesso. Enfim, tenho muita simpatia por ela. Mas quero falar do Luciano Huck. Esse cara tem me impressionado muito por sua sensibilidade com as pessoas mais simples e carentes. Não gosto da palavra 'pobre' quando se quer dizer 'sem dinheiro'. Não é questão de eufemismo. É porque existem pobres de humildade, de solidariedade, de respeito ao outro.
Embora o programa do Luciano Huck tenha um inequívoco viés comercial - pra se ganhar muita grana (o que não tem como ser diferente nesse mundão de hoje)  - , sinto que ele é um ser humano especial. Está sabendo explorar, com respeito e sem sensacionalismo, a carência do brasileiro. Os quadros 'Lata Velha' e 'Lar Doce Lar' merecem as minhas homenagens. Acho que de muita gente também. Ele tem conseguido, além de ajudar a pessoa naquele momento difícil, proporcionar perspectivas profissionais reais e sustentáveis. Não é apenas assistencialista ou paternalista - o que é difícil não ser no início - . Promove, como disse, condições de as pessoas agraciadas manterem-se com uma vida minimamente digna.
Ele é sensível às pessoas, revela carinho, dá abraços verdadeiros. Tratar com respeito e criatividade a dificuldade e a dor alheias tem se revelado um grande alavancador de audiência. Não é necessário explorar a miséria de modo tão nefasto como geralmente a gente vê por aí. Parabéns e obrigado, Huck, por nos fazer rir e chorar com histórias tão bonitas!

4 comentários:

balmantt disse...

A televisão brasileira é um lixo. Um lixo corrosivo que entranha no meio popular e forma o pior tipo de opinião: a opinião tendenciosa e parcial, longe de qualquer tipo de raciocínio e inteligência. Graças a Deus temos algumas exceções, é o caso do Luciano Huck e a apresentadora Marília Gabriela, com certeza deve haver algum outro que não me recordo agora. Confesso que tenho certa simpatia pelo Huck, ele consegue transmitir uma sinceridade que poucos conseguem, pode ser que seja uma personagem, se for, merece os parabéns por ser convincente. Vale lembrar que o quadro “Soletrando” é um incentivo para muitos estudantes, que aprendem estudar e lerem mais.
O domingo é uma verdadeira tortura, onde o mau gosto impera em uma sequência interminável de lixo não cultural da pior espécie. Ainda tem os humorísticos com piadas sem graça e ultrapassadas, os programas matutinos que parecem mais shoppings digitais de tantos “ merchans” com produtos inúteis, os apresentadores que falam/opinam mais que os entrevistados. Ai ai ........... que saudade da “ TV Colosso ” rs.

Será que a TV é um reflexo da cabeça do povo brasileiro ou será que o povo brasileiro é um reflexo dos "cabeças" da tv brasileira? Como dizia minha saudosa professora do ensino médio, Alzilia Samalaia: “O Brasileiro sofre de nanismo Cultural”.

Abraço Professor Fabrício, como sempre dando show de bola.

Ezequiel Balmant

Fabrício Andrade disse...

Rapaz, você precisa escrever mais e mais. Bão, bão, bão! Irretocável tudo o que disse. Pense nisso.

Rhuan disse...

Com certeza quadros versáteis e diretos conquistam pessoas de diferentes classes sociais cada vez mais, pois tudo que se vê são programas sensacionalistas tentando chamar atenção e ajudar a si próprio em questão de negócios, como nosso companheiro Ezequiel comentou, o soletrando vem incentivando diversas pessoas a estudarem, crianças, adultos, jovens e idosos, todos reunidos por um só propósito em frente à TV, proporcionando diversão e fazendo competições em casa sadias, o lata velha traz muitos jovens e apaixonados por carros de qualquer idade a loucura com modelos cada vez mais cobiçados, traçados e nos fazem sonhar em um dia ter algo parecido. Por fim Lar Doce lar, quantas donas de casa ficam em frente da TV imaginando sua casa sendo transformada, seu sonho sendo realizado e falando para aquele velho homem do lado, eu deveria ter nascido rica ou casado com alguém que tivesse condições e não esse velho barrigudo cachaceiro hahahaha...
Luciano Incrível Huck, um rapaz humilde, inteligente e versátil que vem inovando ao contar histórias do dia dia desse nosso Brasil.

Fabrício Andrade disse...

Rhuan, você tem me impressionado muito pelo seu jeito educado, atencioso com as pessoas. Isso é muito importante e as pessoas vão notando esse aspecto tão positivo no seu comportamento. Mantenha-se nessa postura. E mais: o seu texto é muito bom, revela sensibilidade e maturidade. Parabéns. Eu sei que o sonho do futebol é de todo o garoto, assim como eu o tive também, mas a gente sabe que isso é distante e até meio lúdico - embora possível, lógico - . O seu perfil revela grande aptidão para o estudo, que é bem mais vantajoso nessa vida nossa. Abraço.