quinta-feira, 24 de junho de 2010

O Mundo globalizado e a Copa do Mundo



A Copa do Mundo revela o quanto o mundo tem pretendido ser globalizado. Eto'o surpreso com a integração entre as nações proporcionada pelo maior evento do futebol. Apesar dos diversos episódios de xenofobia e violação dos direitos humanos, pelo menos Iniesta copa tenho visto sinais de verdadeiro respeito às diferenças. Pessoas da América, Europa, Ásia, Oceania e África se encontram harmonicamente na África do Sul. Milito em favor dessa postura, Higuain à adotada pelo Bravo Nelson Mandela no combate à política sul africana de segregação de negros e brancos, denominada Apartheid, adotada em 1948, e abolida em 1990, graças especialmente ao mártir e ex-presidente do país sede da Copa. Sabe-se que ainda não se atingiu o ideal, em que Blanco, Moreno e negro vivam em absoluta harmonia, não apenas na África do Sul, mas em todo o mundo. O mundo se intitula globalizado, mas não Seliga que a intolerância destruiu Torres americanas e as pessoas estão construindo Barrera(s) dentro e fora de si mesmas. Nos seus Palácios, muitos povos e estados ricos vão eliminando o sentimento de paz tão difundido. Como se sabe, Estrada(s) e Rios são usados na migração clandestina a países que se dizem globalizados. Os que vazam as Paredes das fronteiras recebem intolerância e subempregos. Yano de Copa do Mundo, porém, parece que isso tudo não acontece, porque são vistos mexicanos americanos, argelinos franceses, brasileiros portugueses, brasileiro japonês e Cacau alemão. O mundo tornou-se uma Babel, um Park onde diversos idiomas, raças e culturas se misturam, nem sempre amistosamente. Sendo bem Franco, há muito ainda a se evoluir no campo da tolerância e respeito ao diferente. A bola está Rolando, mas ainda se mostra meio Mucha, sendo Verón ou inverno  -  a estação vivida agora na África do Sul. Amoah nos corações que Poulsen dentro do peito dos seres humanos, estejam onde estiverem. Não deixe que Robben esse seu sentimento. Seja Justo com o outro, tão diferente, mas tão igual a você. Grafite nenhum irá riscar do Altidore a mensagem tão bela do amor, pregada por Jesús e outros líderes religiosos não cristãos. Emana e Reina, na verdade, em cada pessoa esse sentimento. Odiah o próximo Mata a essência humana. Na África do Sul, o Loco Abreu o coração com a Xavi do futebol e merece o Óscar por ser o Bamba da mais bonita manifestação humana: o amor.



Eto'o (Camarões); Iniesta (Espanha); Milito (Argentina); Higuain (Argentina); Bravo (Chile); Blanco (México); Moreno (México); Seliga (Eslovênia); Torres (EUA); Barrera (México); Palácios (Honduras); Estrada (Chile); Rios (Uruguai); Paredes (Chile); Yano (Japão); Cacau (Alemanha); Babel (Holanda); Park (Coréia do Sul); Franco (México); Rolando (Portugal); Mucha (Eslováquia); Verón (Argentina); Amoah (Gana); Poulsen (Dinamarca); Robben (Holanda); Grafite (Brasil); Altidore (EUA); Jesús (Espanha); Emana (Camarões); Reina (Espanha); Odiah (Nigéria); Mata (Espanha); Loco Abreu (Uruguai); Xavi (Espanha); Justo (Paraguai); Óscar (Paraguai); Bamba (Costa do Marfim).



15 comentários:

hevellyn disse...

Simplesmente perfeito adorei muitooo

Já passei para meus amigos lerem ficou demais

Como sempre me surpreende a cada dia

""Quando eu crescer quero ser inteligente igual a você.kkkkkk""

bjim bjim

Danilo N. Cruz disse...

Parabéns,

Muito criativo!

Abraços,

Danilo.

Angélica disse...

Muito interessante

as colocações com

nomes de jogadores

parabéns...

Mana disse...

E mano vc tava inspirado! Muito bom mesmo, parabéns. Digno de muitos elogios seu artigo...

Thonny Hawany disse...

Prezado Fabrício:


Parabéns pelo texto. Este é o tipo de texto que dá gosto ler. Você se superou. Peço vênia para trabalhar o seu texto “O Mundo globalizado e a Copa do Mundo” nas minhas aulas de leitura e de português instrumental. Você foi muito criativo e perspicaz na escolha dos nomes dos jogadores para composição do tecido linguístico. Isso é prova que há fonética, a morfologia, a sintaxe, a semântica e a estilística caminham na mesma direção. Trata-se de um texto leve, coerente, conciso, inteligente e de leitura divertida. Ao construí-lo, você deixou os semas que possibilitam o leitor fazer o caminho inverso na interpretação dos sentidos pretendidos. Como eu já disse pessoalmente, o texto é elemento de apoio aos Direitos Humanos, à Sociologia, à Linguística etc. Não se esqueça de passar lá pelo www.thonnyhawany.blogspot.com Abraçuuuuuuuuuuu, amigo e mestre.

Fabrício Andrade disse...

Hevellyn, obrigado pelas suas constantes visitas. Que bom que gostou.

Fabrício Andrade disse...

Obrigado, Angélica. Você poderia se identificar melhor, por favor?

Fabrício Andrade disse...

Thonny, valeu demais. O seu comentário só me motiva. Pode deixar que passo lá, aliás, sempro visito o www.thonnyawany.blogspot.com
Obrigado!

Lirian disse...

"Quando eu crescer quero ser inteligente igual você." [2]!

Drogba! Eu queria ser criativa assim! Ha ha ha!

Beijão, Prof.

Fabrício Andrade disse...

Lirian, que bom tê-la aqui. Obrigado por ler e comentar aqui no blog. Você já é um grande talento! Beijo.

Alexandre Santiago disse...

Legal! Bem bolado!

Só faltou consignar, numa outra abordagem, aquilo que devemos dizer Deco: Fora juízes que Robben!
Formar um time campeão é uma verdadeira Maradona. Assim, em matéria de arbitragem não é Elano que se aprende.
Não importa se o roubo é grande ou se é um Robinho. Fica feio quando várias Tevez mostram o vacilo.
E quando a câmara, ao vivo ou durante a exibição do Vittek da partida, faz o Klose da jogada? Só não Vera quem for cego!
A Fifa faz é papel de Palermo ao proibir o uso da tecnologia. Não importa se o jogo é na quarta ou na Iaquinta.
O foda é quando os bandeirinhas Koren para o meio de campo, validando um gol que Dunga houve.

Anônimo disse...

Sensacional!!!
Sou sua fã!
Parabéns primo.
Melissa

Sílvio Romero disse...

Um bom texto, criativo, pinçando nomes em voga na Copa de Futebol, para descrever a xenofobia atualmente existente em alguns países da União Européia e Estados Unidos, que vem endurecendo suas legislações com relação aos imigrantes.



Sílvio

Angélica disse...

Angélica 3ºA Direito...

Leticia de Andrade Venicio disse...

Tio, Parabéns! Adorei o texto a presença dos nomes dos jogadores, como o parte do texto, muito criativo. As colocações sobre as diferenças racias e sociais, aceitar e tolerar as pessoas,conviver com o diferente, o amor por todos! :D tuuudo, muito bom!

Beijos