quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Boris Casoy

Pessoal, vou postar aqui um texto do meu amigo Ivan Gouveia. Ele sempre me atende de modo muito atencioso e resolve todos os problemas do meu computador e outros assuntos de informática. O Ivan é uma pessoa especial. Tem um jeito simples e é extremamente competente. Além do trabalho com informática, ele faz modelismos (miniaturas) de caminhões que são impressionantes. São perfeitas. Quem quiser conferir é só acessar http://www.oficinaaberta.com.br/. Ele escreveu, com elevada propriedade, sobre a gafe do ridículo Boris Casoy, o qual, no final do ano passado, agrediu os garis. Embora já tenha se passado um tempinho, não resisti ao ler o texto dele e resolvi colocar aqui. É excelente. Antes de ler, veja o vídeo.



Brasil, "ISSO É UMA VERGONHA!!!"

Boris Casoy menospreza garis








Eis mais uma triste realidade.

Vivemos em um país em que a maioria das pessoas são sub-assalariadas. Muita gente ganha salário mínimo, mas há quem ganhe bem menos que isso. Os bons empregos são muito concorridos e muitas vezes se precisa do famoso "empurrãozinho" de alguém que já é influente no local. A busca por emprego é uma batalha. É muito difícil de se fazer acreditado logo no início. Há quem fique numa verdadeira gangorra, pois quando mostra talento, às vezes falta escolaridade, o diploma enfim. Brasileiro que é brasileiro de fato nunca desiste. Passa por dificuldades e vai em frente. A vida muitas vezes é dura como uma luta de boxe e a pessoa pode não agüentar muitos "rounds". Quando não consegue as coisas dizem que não passa de um fracassado. Olha, que há mesmo quem não se esforce de verdade, mas a maioria luta até amenizar a situação. O sonho de ficar rico, salvo raras exceções, fica apenas para o glorioso dia em que for sorteado numa loteria. Enquanto isso tome trabalho, tome esperança. Que Deus é brasileiro ou poderia, um dia, se orgulhar de ser. Trabalho é trabalho. É esforço para se construir alguma coisa útil. Não tem trabalho menos digno ou mais digno que o outro. Indigno é roubar, matar, etc. Há trabalhos que exigem mais esforço que outros e que, lamentavelmente, resultem em menos proveito pecuniário. Entretanto, todo trabalho dignifica o trabalhador que, pelas mãos calejadas e pelo suor derramado de seu rosto põe à mesa o pão que nutre sua família. Eis aí uma boa parcela da felicidade do ser humano. Tudo transcorre como é tido por normal até que, lamentavelmente, um ser infeliz derrama seu rancor e menosprezo sobre nós brasileiros. Digo nós porque cada ser consciente dos direitos do cidadão, do respeito devido a cada trabalhador nesse país deve ter se indignado com as infelizes palavras do senhor Boris Casoy. Este, tido como um homem de moral inabalável e defensor dos direitos do cidadão, vomitou palavras duras contra os garis. Disse: "Que merda, dois lixeiros desejando felicidades... do alto de suas vassouras... Dois lixeiros... o mais baixo da escala do trabalho". Mostrou o quanto tem preconceito de classe social e outros mais. Aqueles dois garis podem não ter a formação acadêmica, mas certamente têm enlevação de alma que o senhor Boris parece jamais poder alcançar. Ah, deixassem de recolher o lixo da casa dele por uma semana e ele ia ver como ficaria! O lamentável episódio ocorreu bem no instante em que muitos de nós tentam, a todo custo, meter ao espírito um pouco de esperança para encarar o ano vindouro. O ser humano é difícil de se conhecer. Muita gente tem lá seus preconceitos quer seja de um tipo, quer seja de outro. Mas externá-los por quê? Para ferir alguém? Ou será que é por que alguns se acham melhores e acima de todos, que podem dizer o que bem querem? Acho que o senhor Boris Casoy não tem essas respostas. Mas eu digo uma coisa: todos somos suscetíveis de cometer erros. O que dizer o erro desse âncora da TV Band senão: "ISSO É UMA VERGONHA!!!". No mais, prefiro não sintonizar mais nessa emissora, pois quem teria estômago para encarar a imagem desse cidadão que é bem outra, quando não é devidamente editada.
Parabéns aos garis e a todos os trabalhadores dessa grande nação! Brasil! Feliz Ano Novo a todos!


Cacoal, Rondônia, Brasil


Sábado, 02 de janeiro de 2010.

Ivan Gouveia

11 comentários:

eliasnunes8 disse...

Caro Fabrício,

O nosso colega Ivan faz muito em não mais sintonizar o canal da BAND, ou melhor, da "BANDA" do Boris e do Fernando Mitre, cuja linha editorial é vergonhosamente tendenciosa, parcial..., enfim, é realmente UMA VERGONHA!!!

Elias Nunes

eliasnunes8 disse...

Caro Fabrício,

O nosso colega Ivan faz muito em não mais sintonizar o canal da BAND, ou melhor, da "BANDA" do Boris e do Fernando Mitre, cuja linha editorial é vergonhosamente tendenciosa, parcial..., enfim, é realmente UMA VERGONHA!!!

Elias Nunes

Marcos Domingos disse...

Amigo Andrade, transmita ao Ivan, os parabéns pelas palavras claras, objetivas, que relatam a luta do povo brasileiro, em seus anseios, suas batalhas, e a guerra de todo cidadão, que luta para cumprir um ritual glorioso e digno, o de sustentar nossas familias, digo nossa, porque você, Ivan e eu, bem como todos os brasileiros, fazemos parte dessa classe. Adoro ser chamado de brasileiro, amo a minha nação, pois como o Ivan cita, no transcorrer do texto somos lutadores, pensando sempre em realizar, que digo, fazer tornar-se realidade os nossos sonhos, pensando em todos, errando, errando, e com a humildade de corrigir os mesmos, e enfatizando esta parte, recomeçar sempre. Algmas destas palavras, que têm o grande significado de ser brasileiro, e ter a brasilidade em nossos corações, infelizmente não cabe ao Boris.
Encerro meu pobre texto mandando um abraço ao Ivan, e ao amigo Andrade, parabenizando-os mais uma vez.

Valeuuuu


Att.
Marcos Domingos

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Fabrício Andrade disse...

Ivan, por favor, esteja à vontade para responder aos comentários dos amigos. Você viu o tamanho do comentário do Marcão? Ele é um grande amigo. Estou feliz porque o pessoal elogiou demais o seu texto. Como constumo dizer aos meus alunos, 'você arrebentou'. Espero poder contar com outros textos seus. Parabéns e um abraço.

TONY PABLO disse...

Ilustre Professor Fabrício,

Antes de comentar o texto, gostaria de registrar que tive o privilégio de conhecer e me tornar amigo do Ivan Gouveia na época em que trabalhamos na Câmara Municipal. Ele no setor de informática e eu, no jurídico. Na oportunidade, constatei seu talendo, que não se restringe à informática, como revelado pelo Fabrício na apresentação. Com relação ao texto, entendo que ele realmente escreveu com propriedade sobre a gafe do jornalista Boris Casoy. Foi muito feliz em suas ponderações, que na verdade revelam os traços nobres de sua personalidade, em especial seu respeito ao proxímo e intolerância a qualquer tipo de preconceito e discriminação.
Por último, gostaria de registrar que o Sr. Boris Casoy é um ser humano como todos nós, e por esta condição está sujeito a erros e acertos,portanto merece receber as críticas pelo infeliz fato que protoganizou. Por outro lado, não concordo que devamos impor-lhe a pena extrema de não mais assisti-lo ou deixar de acompanhar a progamação da emissora que ele faz parte. Sob pena de cometermos uma injustiça ao permitir que um erro possa macular todas a virtudes e os acertos de uma pessoa.

Abraços,

TONY PABLO DE CASTRO CHAVES

Anônimo disse...

Ei, professor!! Sera que se o Robinho tirar aquela "mascara" ele vai dar certo no Santos? e quem voce acha mais mascarado?
a)- Robinho
b)- Roberto Carlos(Corinthians)
c)- Ronaldinho Gaucho
d)- NDA

Fabrício Andrade disse...

Elias, Marcão e Tony, obrigado demais por passarem por aqui e deixarem suas impressões desse episódio tão lamentável do jornalismo brasileiro. Tony, de fato, todo mundo erra e todo mundo merece respeito, mas a fala do jornalista revela um preconceito violento contras os mais pobres. Isso, portanto, é coisa de personalidade, algo arraigado no indivíduo, o que muitíssimo triste. Já avisei pessoalmente o Ivan para responder a todos os comentários. Abraço.

Raul Nepomuceno disse...

Assino embaixo. Ivan mandou muitíssimo bem. Esse Boris Casoy é que é um vergonha. Não consigo mais nem olhar pra cara dele sem sentir nojo.

Ivan Gouveia disse...

Olá a todos.
Fico contente por poder compartilhar opiniões aqui. O professor Fabrício foi muito gentil com suas palavras ao me apresentar em seu Blog. Assim, espero vir a fazer jus ao que ele disse. Agradeço a todos pelos comentários ao texto que, não é nada muito elaborado, mas é fruto da indignação causada pelas insolentes palavras do sr. Boris Casoy. Haja visto que tal indignação não foi sentida apenas por mim. Daí, há grande quantidade de comentários sobre o assunto não só aqui, mas em varios tipos de mídia. Entretanto, lembro mais uma lamentável verdade: o brasileiro esquece fácil dessas coisas.

diogo disse...

Olá professor. Bom, gostei muito das miniaturas do seu amigo e muito também do texto que ele escreveu e o você reproduziu. Quanto a esse "dinossauro", fica meu sentimento de revolta registrado pela sua infeliz colocação de que estão os Garis no último grau da escala de trabalho. Não consigo aceitar que eu já assisti e vibrei até com comentários desse ignorante. Não acredito que alguém que sempre se apresentou crítico aos problemas enfrentados pelo país, seja assim, simplesmente, um ser tão falso. Registro minha insatisfação, meu posicionamento de não mais assistir o jornal por ele apresentado e o agradecimento aos nobres GARIS que fazem um trabalho excelente e digno de muito respeito. O que esse pobre jornalista disse sim, É UMA VERGONHA.